Visita encenada ao palácio Marquês de Pombal

  • 0

Visita encenada ao palácio Marquês de Pombal

Visita encenada ao palácio Marquês de Pombal em Oeiras

Pela mão de Leonor Daun

Visitas acompanhadas por D. Leonor Daun, mulher do Marquês de Pombal e mãe dos seus filhos, esta é uma oportunidade única de conhecer o palácio do marquês em Oeiras, através dos olhos iluminados da sua esposa, a dona Leonor Daun de origem Austríaca nascida a 2 de Novembro de 1721 em Viena, filha do famoso conde de Daun.

Durante a visita, a dona Leonor Daun vai nos dar a sua perspectiva única de contribuições que ela própria fez na construção do palácio do Marquês. Vai desvendar-nos um pouco mais das suas vidas pessoais e de como se desenvolveram as politicas nacionais no século XVIII.

 

Esta é uma visita encenada ao palácio do Marquês de Pombal em Oeiras, onde nos é dado o papel de convidados de honra da dona Leonor Daun (esposa do marquês de Pombal).

 

Nesta visita começamos logo por ser recebidos por Leonor Daun no cimo das escadarias do palácio Leonor Daun

 

 

 

 

 

Somos todos devidamente apresentados Apresentacao grupo

 

 

 

 

 

E é nos dado a perceber todo o contexto histórico e importância da família do marquês de Pombal durante a reconstrução de Portugal após o terramoto de 1755.

“Continuar a ler”

  • 0

A primeira fotografia conhecida

A primeira fotografia conhecida

A primeira fotografia conhecida, que é reconhecida universalmente como tendo sido a primeira fotografia existente, remonta ao ano de 1826 e é atribuída ao francês Joseph Nicéphore Niépce.

Contudo, a invenção da fotografia não é obra de um só autor, mas um processo de acúmulo de avanços por parte de muitas pessoas, trabalhando, juntas ou em paralelo, ao longo de muitos anos. Se por um lado os princípios fundamentais da fotografia se estabeleceram há décadas e, desde a introdução do filme fotográfico colorido, quase não sofreram mudanças, por outro, os avanços tecnológicos têm sistematicamente possibilitado melhorias na qualidade das imagens produzidas, agilização das etapas do processo de produção e a redução de custos, popularizando o uso da fotografia.

primeira fotografia conhecida

Esta é a primeira fotografia conhecida por Joseph Nicéphore Niépce

“Continuar a ler”

  • 0

O que é a fotografia?

O que é a fotografia?

Fotografia é uma palavra que deriva do grego φως [fós] (“luz”), e γραφις [grafis] (“pincel”) ou sej desenhar com luz, mas esta é a definição literal da palavra, na prática é apenas uma técnica de criação de imagens por meio de exposição luminosa. Ou seja expomos o sensor da camara à luz e esta vai recriar a luz que está a receber num suporte seja ele em filme (camaras analógicas) ou num cartão de memória (Camaras digitais.)

Mas dentro disso existem inúmeros tipos de fotografia, vou enumerar e explicar alguns dos principais:

 

DSC_9036Fotojornalismo – Este tipo de fotografias está mais virada para profissionais porque é importante que consigam assegurar que as suas fotografias mantêm a integridade da cena original. A um fotojornalista pede-se que seja capaz de fotografar apenas os factos, sem alteração da mesma. Estas fotografias são geralmente fotografias fortes que transportam o leitor para a própria história. Saber capturar a emoção original geralmente leva anos de prática e experiência.

 

Fotografia documental – Neste tipo de fotografia procuramos contar uma história através de uma ou várias fotografias. A grande diferença relativamente a foto-jornalismo é que a fotografia documental serve como documento histórico de uma época política ou social, enquanto que o foto-jornalismo retrata uma cena particular e relativa aquele momento.

 

DSC_0059Fotografia de acção – Nesta área inserem-se principalmente fotógrafos de desportos.

 

 

 

 

 

Macrofotografia – É a fotografia de objectos tirada a distancias muito curtas, geralmente a poucos milimetros do objecto, A macrofotografia pode incluir assuntos como insetos, flores, a textura de uma camisola de tecido ou qualquer objeto onde se fotografa perto na busca de detalhes interessantes.

“Continuar a ler”