Entrevista – Nanã Sousa Dias

  • 0

Entrevista – Nanã Sousa Dias

Recentemente tive a oportunidade de fazer uma entrevista ao talentoso fotógrafo Nanã Sousa Dias. nanamar

Para quem ainda não conhece, Nanã além de um excelente fotógrafo é um virtuoso da música, especialmente do saxofone.

 

Estas foram algumas das perguntas que lhe coloquei:

Qual é a sua ligação com Cascais?
Vê-se como profissional de fotografia ou como amador? Porque?
Qual é a sua inspiração?
Adaptou-se bem à mudança de analógico para digital?

 

Como não podia deixar de ser, numa página intitulada fotografoemcascais, a primeira pergunta tinha que ser esta:

 

Qual é a sua ligação com Cascais?

E Nanã explicou-me a sua ligação com Cascais da seguinte forma:

Cascais é uma terra da qual sempre gostei e com a qual sempre senti uma forte ligação. Desde sempre, tive vários familiares chegados a viver em Cascais e Estoril e, desde criança que me habituei a estar algumas temporadas nessa zona. Uns anos mais tarde, eu próprio vivi no Monte Estoril, desde 1976, ano em que comecei a estudar no IADE. 

 

Conhecendo melhor a ligação de Nanã a Cascais, continuo com as minhas perguntas ainda a um nível muito mais pessoal do que técnico, a seguinte pergunta foi:

 

Quando surgiu a paixão por fotografia?

 

A esta pergunta tive uma resposta muito breve e directa ao assunto:

 

A minha paixão pela fotografia surgiu muito cedo, penso que, por volta dos 12 ou 13 anos.

 

Resolvi então fazer uma pergunta um pouco mais prática:

 

Vê-se como profissional de fotografia ou como amador? Porque?

 

E esta foi a resposta obtida:

 

Vejo-me como fotógrafo amante de fotografia e também como formador, actividade que exerço desde 2004. Para ser rigoroso, devo ser um fotógrafo semi-profissional, bem como músico semi-profissional, já que a minha vida profissional é dividida entre estas duas actividades.

 

Segui o inquérito com outra pergunta um pouco mais pessoal:

 

 

Tem alguma fotografia preferida? Qual?

Que deu direito a esta resposta:

 

nanajazzTenho uma fotografia preferida, sim, sempre! É a que vou fazer amanhã!

 

 

 

 

Continuo curioso por conhecer mais do que levou Nanã a escolher a fotografia. E uma das melhores formas de o saber é através de quem o inspira a fazer melhor, por isso pergunto:

 

Segue o trabalho de algum fotógrafo?

e

Qual é a sua inspiração?

 

Sigo o trabalho de MUITOS fotógrafos, desde SEMPRE!

 

A minha inspiração, na fotografia de paisagem é a luz, a sombra e, principalmente, o mar.

Na fotografia urbana, a minha inspiração é a luz, a sombra e a volumetria, combinada com a forma humana.

A minha inspiração, no retrato, é o olhar, a expressão. Mais uma vez, juntam-se-lhes a luz e a sombra.

A minha inspiração, no Nu, é a luz, a sombra, as curvas, formas e texturas.

E termino esta entrevista com uma pergunta que aborda um tema que incomodou principalmente os fotógrafos profissionais um pouco mais velhos:

 

Adaptou-se bem à mudança de analógico para digital?

 

Não posso responder à última pergunta porque, desde o aparecimento do digital, nunca deixei de fotografar com ambos os sistemas. Continuo a usar o analógico para o meu portfolio de fotografia artística. Tenho o meu laboratório a funcionar, sou eu que revelo e amplio tudo e dou workshops de Laboratório, em minha  casa e também no Brasil, onde tenho bastantes pessoas interessadas em frequentar os meus workshops. Quanto à fotografia digital, uso-a mais para trabalho comercial e para fotografia ocasional e casual.

 

Quanto à fotografia analógica, eis as máquinas que uso mais, actualmente…

Esta, aqui em baixo, foi construída por mim, é a que uso mais. O negativo, tal como a máquina de madeira ali em cima, é de grande formato e mede 10,2×12,7cm.

 

Esta é a entrevista que tenho para vós por hoje, brevemente irei publicar mais entrevistas com outros fotógrafos.

 

Para terminar deixo-vos a interpretação de Nanã Sousa Dias na estreia do Nanã Sousa Dias Quinteto, no 19º Festival de Jazz de Jazz de Valado dos Frades. 5 de Maio 2016

 

 

 

Também pode ver a minha entrevista a Diego Scaglione AQUI

Comenta com o Facebook

Leave a Reply